SOS Amazônia apresenta resultados 2016 do projeto “Quelônios do Juruá”

Ícone de relógio dez 17, 2016

A SOS Amazônia realiza projetos que sempre se propõem a diminuir a pressão humana sobre as florestas, respeitando o ambiente e toda sua diversidade biológica.

Um dos nossos projetos é o “Quelônios dos Juruá: eu protejo”, com o objetivo de garantir a conservação das espécies de tartarugas, tracajás e iaçás ao longo do rio Juruá, na Reserva Extrativista Alto Juruá e Parque Nacional da Serra do Divisor.

Iniciado em 2003, essa atividade conta com 26 famílias ribeirinhas voluntárias, que se esforçam para proteger as praias em período de desovas, com o suporte técnico da SOS Amazônia.

Embora a falta de apoio financeiro permanente, a equipe técnica e monitores voluntários seguem com muita determinação fortalecendo essa iniciativa.

“Sem dúvida é uma ação muito importante desenvolvido pela a instituição, pois essas espécies estão ainda em risco de extinção na nossa região, nada melhor do que mantê-las na natureza, além de despertar uma maior conscientização ambiental”, disse a coordenadora do ATER Agroecologia/SOS, que acompanha de perto esse trabalho, Gleiciane Cruz.

Em 2016, o “Quelônios do Juruá” devolveu à natureza 1.715 quelônios, sendo 1.477 filhotes de tracajás, 206 de iaçás e apenas 32 de tartarugas.

A secretária técnica da SOS Amazônia, Cida Lopes, explica que a tartaruga e seus ninhos sofrem mais pressão externa, por isso, o trabalho para protege-las é maior, requer mais tempo e mais apoio.

“Por ser um animal grande e ter um sabor da carne diferenciado, a tartaruga é mais visada comercialmente, ou seja, além de sofrer as perdas por fenômenos naturais (desmatamento e as mudanças climáticas, com verão severo este ano), sofre intensa predação humana. E a falta de fiscalização pelos órgãos gestores, principalmente, na Resex, coloca em risco todo o esforço voluntário das famílias ribeirinhas em proteger as praias” alerta Cida.

Ela explica ainda que, tendo em vista que a ação é feita sem apoio financeiro ao projeto, os números são muitos significativos. “Considerando ser um trabalho voluntário, 1.715 filhotes devolvidos à natureza é significativo. Continuamos dedicando esforços em captação de recursos que permitam melhorar e ampliar o monitoramento das praias para o fortalecimento dessa atividade. Os quelônios são animais que têm uma importância muito grande para o ambiente, entre as quais, por serem migratórios e realizarem a dispersão de sementes na floresta,  contribuindo para o equilíbrio ambiental”, destaca.

Essas famílias voluntárias prestam um importante serviço ambiental ao planeta e precisam da nossa ajuda para seguir com a intenção de livrar essas espécies de risco de extinção.

Quer ajudar o projeto Quelônios do Juruá: eu protejo? Junte-se a nós! Faça uma doação.

[av_gallery ids=’11222,7478,9810,8257,5921,6248′ style=’thumbnails’ preview_size=’portfolio’ crop_big_preview_thumbnail=’avia-gallery-big-crop-thumb’ thumb_size=’portfolio’ columns=’3′ imagelink=’lightbox’ lazyload=’avia_lazyload’]

Próximos posts

Ícone de folha de árvore Seja Voluntário SOS Amazônia

Tem sede de ajudar a mudar o mundo a sua volta?
Seja um voluntário SOS Amazônia, inscreva-se e em breve entraremos em contato

Ícone de folha de árvore Associe-se a SOS Amazônia

O seu apoio é fundamental para continuarmos a trabalhar pelo futuro da nossa floresta, rios, animais e da humanidade.
Afilie-se agora!

Ícone de folha de árvore Faça parte da equipe SOS Amazônia

Tem interesse em trabalhar na SOS Amazônia?
Nos envie seu currículo e faça parte da nossa base exclusiva de currículos


Ícone de folha de árvore Seja Parceiro SOS Amazônia

Tem sede de ajudar a mudar o mundo a sua volta?
Seja um voluntário SOS Amazônia, inscreva-se e em breve entraremos em contato