Junte-se a nós!

Coordenado pela SOS Amazônia desde o ano de 2003, o “Projeto Quelônios do Juruá: Eu Protejo”, tem por objetivo principal garantir a conservação das espécies de tartarugas, tracajás e iaçás na região do Vale do Juruá.

Até o ano de 2010, o projeto teve apoio financeiro de várias organizações, como a TNC/Fundação Moore; Ministério da Justiça; FUNBIO/Fundação Ford; OTCA/GIZ), no entanto, de lá para cá, conta somente com a assessoria técnica da SOS Amazônia e com a ação voluntária dos ribeirinhos que se identificam com a causa, cerca de 40 famílias.

Estima-se que até hoje, já foram devolvidos à natureza, aproximadamente, 18 mil quelônios. Mas, segundo a secretária técnica da SOS Amazônia, Cida Lopes, para os padrões amazônicos, o número é considerado muito baixo, indicando a importância de uma dedicação incessante.

“Infelizmente, o projeto ficou sem apoio financeiro e dificultou muito o nosso trabalho de conservação dos quelônios nesses últimos anos. Agradecemos muito as famílias que não desistiram, que mesmo com as dificuldades continuaram fazendo o trabalho de monitoramento. Com certeza, essas famílias ribeirinhas prestam um importante serviço ambiental ao planeta e merecem ser recompensadas por isso”, observa Cida.

Junte-se a nós! Proteja os quelônios do Juruá! A partir de apenas R$ 15,00 por mês, você ajuda a salvar as tartarugas do Juruá. Doe agora!

Ação predatória do homem é o mais grave problema

Técnicos ambientais da SOS Amazônia, em visita ao Parque Nacional da Serra do Divisor (PNSD) e à RESEX Alto Juruá, sempre registram denúncias e pedidos de providências contra a pesca predatória de quelônios (com uso de anzóis) nos locais de monitoramento e destruição dos ninhos nas praias.
A situação desrespeitosa causa desânimo aos monitores, que pedem para que o ICMBIO – Órgão Gestor do PNSD e da Resex – tome providências a respeito. .
As denúncias são encaminhadas pela SOS Amazônia aos órgãos responsáveis, que prometem fazer a fiscalização o mais rápido possível. Ainda assim, as atividades predatórias continuam.

Fortaleça nossas iniciativa para proteger os quelônios! Doe Agora!