Site promove concurso global com o tema moda sustentável

O site Jak&Jil promove concurso global com o tema “moda sustentável”:  O Sustainable Fashion Awards (SFA). A iniciativa tem por objetivo reconhecer e premiar talentos de profissionais consolidados e iniciantes (designers, estilistas), além de premiar marcas de moda, que sejam engajadas em projetos e na busca por métodos mais éticos e sustentáveis de produção, apoiando-se em conceitos como: durabilidade dos produtos, reciclagem de materiais, estímulo do comércio local, preservação do meio ambiente.

PREMIAÇÃO

Um júri foi formado por voluntários de diferentes partes do mundo está pronto para avaliar os projetos enviados. O projeto de moda sustentável mais bem avaliado pelos jurados receberá um prêmio no valor de US$6 mil, sendo que metade desta quantia será doada para uma das ONGs participantes do concurso, conforme a escolha do vencedor. A SOS Amazônia é uma das organizações que apoia e promove essa iniciativa por uma moda mais sustentável.

O site Jak&Jil está presente em 10 países: Brasil, Colômbia, EUA, Alemanha, Inglaterra, Suécia, Polônia, França, Itália e Índia. Isso significa que o seu projeto atingirá uma audiência global!

As inscrições vão até o dia 31 de outubro. Inscreva- se agora (aqui)!

Conecte-se.

Conecte-se com a Amazônia! Apoie o projeto Faça Florescer. 

É de uma grandeza extraordinária o quanto a Amazônia faz diferença na vida das pessoas, tanto para quem vive nela quanto para quem mora em outras regiões. Um dos exemplos é que “a floresta amazônica bombeia um imenso fluxo de água pelos ares, chamado de rios voadores. Essa umidade enviada para a atmosfera se transforma em chuva, beneficiando outras regiões do Brasil”.

Para retribuir a Amazônia uma pequena parcela dos benefícios que recebemos dela, a SOS Amazônia lançou um desafio às pessoas que querem se unir pela preservação da Amazônia: Reflorestar áreas de nascentes, restabelecendo importantes corredores de biodiversidade, por meio do projeto Faça Florescer.

O Faça Florescer se propõe a construir e manter um viveiro de mudas, por meio de ajuda coletiva, para a restauração florestal de nascentes. Uma ótima oportunidade para gerar conteúdo que motiva a reflexão sobre os problemas na Amazônia.

Cada contribuição voluntária é muito importante para que esse objetivo seja alcançado. Junte-se a nós, doe qualquer valor e torne pública a sua doação, a partir do uso da hashtag #VemReflorestar, #FaçaFlorescer e #sosamazônia nas redes sociais.

Colabore aqui e faça florescer um mundo melhor! 

Designer Flávia Amadeu lança campanha de apoio ao Faça Florescer

A designer de joias, Flávia Amadeu, que trabalha com a borracha da Amazônia há 14 anos, lançou em seu website uma campanha de apoio ao projeto Faça Florescer da SOS Amazônia. Na compra de um lindo pingente feito de borracha colorida, R$ 35,00 vão para o projeto de reflorestamento de nascentes. Adquira já o seu e ajude a fazer boas transformações na floresta. Saiba mais e apoie.


BORRACHA FSA

A borracha colorida FSA foi desenvolvida pelo Projeto Tecbor do Laboratório de Tecnologia Química da Universidade de Brasília e representa mais uma alternativa para a continuidade do extrativismo da borracha nativa da floresta Amazônia. Os seringueiros, conhecedores da floresta, coletam o látex das árvores, que continuam produtivas por gerações. O líquido é então levado para a unidade de produção, onde a borracha é produzida. As mantas de borracha podem então ser usadas no design de produtos ou no artesanato local. Saiba mais e apoie.

Saiba mais e apoie.

Em 2018, vamos voar juntos pela Amazônia!

É com muita alegria que agradecemos a todos pelo apoio às nossas iniciativas e desejamos aos colaboradores, parceiros, doadores, voluntários e aqueles que seguem e curtem nossas páginas nas redes sociais, um Feliz Natal e um 2018 de muita saúde, amor e boas transformações. É também nosso desejo que as energias se renovem pela proteção da Amazônia, e que, mesmo diante de grandes obstáculos, continuemos firmes e comprometidos em #voarjuntos pela Amazônia. Faça Florescer um mundo melhor!

Um forte abraço!

Equipe SOS Amazônia

#FaçaFlorescer #VemReflorestar #sosamazônia

Foto destaque: SOS Amazônia | André Dib

Quer fazer algo pela Amazônia?

É de uma grandeza extraordinária o quanto a Amazônia faz diferença na vida das pessoas, tanto para quem vive nela quanto para quem mora em outras regiões. Um dos exemplos é que “a floresta amazônica bombeia um imenso fluxo de água pelos ares, chamado de rios voadores. Essa umidade enviada para a atmosfera se transforma em chuva, beneficiando outras regiões do Brasil”.

Para retribuir a Amazônia uma pequena parcela dos benefícios que recebemos dela, a SOS Amazônia lançou um desafio às pessoas que querem se unir pela preservação da Amazônia: Reflorestar áreas de nascentes, restabelecendo importantes corredores de biodiversidade, por meio do projeto Faça Florescer.

O Faça Florescer se propõe a construir e manter um viveiro de mudas, por meio de ajuda coletiva, para a restauração florestal de nascentes. Uma ótima oportunidade para gerar conteúdo que motiva a reflexão sobre os problemas na Amazônia.

Cada contribuição voluntária é muito importante para que esse objetivo seja alcançado. Junte-se a nós, doe qualquer valor e torne pública a sua doação, a partir do uso da hashtag #VemReflorestar, #FaçaFlorescer e #sosamazônia nas redes sociais.

Colabore aqui e faça florescer um mundo melhor! 

Mapa da Bacia Hidrográfica do Rio Acre, Amazônia

SOS Amazônia apresenta resultados parciais de monitoramento de quelônios no Vale do Juruá

O projeto “Quelônios do Juruá: Eu Protejo” é uma iniciativa realizada pela SOS Amazônia que desde 2003 atua com o objetivo de garantir a conservação das espécies de tartarugas, tracajás e iaçás na região.

Como parte das ações 2017, técnicos da SOS Amazônia fizeram, durante o mês de outubro, visitas e acompanhamento as áreas de proteção nas comunidades do município de Marechal Thaumaturgo. Mais de 40 famílias monitoras foram visitadas.

A ação consiste em identificar e supervisionar regiões de desovas de quelônios mediante a inserção de faixas de sinalização nas praias monitoradas, além de conscientizar os comunitários sobre a importância desses animais para a manutenção do ambiente na região.

De acordo com Márcia Silva, técnica em agroecologia, essa é uma prática ecológica muito importante para livrar essas espécies do perigo de extinção.

“Esse ato é muito especial, pois além da dedicação e responsabilidade de todos que atuam, ainda existe o fato de estar contribuindo contra a extinção desses animais ”, afirma Márcia.

Relatório parcial das atividades aponta que em 2017 foram realizadas em torno de 124 visitas técnicas sobre manejo e conservação dos quelônios, com a participação de pelo menos 44 famílias. Foram sinalizadas 58 praias na Reserva Extrativista Alto Juruá e no Parque Nacional da Serra do Divisor (PNSD), e identificados 251 ninhos de tracajás, 107 de iaçás e apenas oito de tartarugas da Amazônia. Até o momento, eclodiram 1200 ovos e estima-se que 70% dos ovos vão eclodir ainda até o dia 15 novembro.

Importante alertar que a tartaruga da Amazônia é a espécie mais ameaçada dentre os quelônios. Por isso, a importância de fortalecer as iniciativas de manejo e conservação desses animais. No entanto, embora oito ninhos seja um número pequeno e preocupante, comparado a outros anos, que a incidência de ninhos era entre um e dois, houve um considerável aumento da presença de tartarugas desovando nas praias do rio Juruá.

O projeto, mesmo com a falta de apoio financeiro permanente, continua firme em proteger e respeitar a biodiversidade, com o intuito de diminuir a pressão humana sobre a floresta e fauna. E você pode ajudar a salvar os quelônios do Juruá. Colabore e seja um aliado nesta causa! .  #façaflorescer #diadedoar #Forest #Amazon

Quem doa transforma! Junte-se a nós! Doe Agora.

Aqui você tem acesso a um relatório parcial dos investimentos, doações recebidas e resultados de manejo e conservação dos quelônios 2017. (Acesse)

Por Deylon Félix

#DiadeDoar 2017 será no dia 28 de novembro

A SOS Amazônia participa, desde 2015, da campanha #diadedoar, criada com o objetivo de promover a cultura de doação no Brasil. A edição 2017 acontecerá no dia 28 de novembro e o Brasil inteiro vai se mobilizar.

Faça parte desse movimento você também! Todos por um país mais generoso e solidário! Junte-se a nós, doe qualquer valor para SOS Amazônia e torne pública a sua doação, a partir do uso da hashtag #diadedoar nas redes sociais.


O #DIADEDOAR

O #diadedoar é organizado pelo Movimento por uma Cultura de Doação, uma coalização de organizações e indivíduos que se mobilizam para termos um país mais generoso e solidário. Essa iniciativa começou em 2012, nos Estados Unidos, com o nome de #GivingTuesday, e hoje já alcança mais de 80 países. (Mais informações)


SOBRE A SOS AMAZÔNIA

Na década de 1980 houve um grande incentivo ao desmatamento na Amazônia e grandes áreas de florestas foram substituídas por pastagens. Naquela época, o movimento dos seringueiros unia forças para empatar a devastação da Amazônia. O cenário exigia muito apoio e dedicação à luta dos seringueiros para proteger a floresta. Movidos pela resistência dos guardiões da floresta, dia 30 de setembro de 1988, na cidade de Rio Branco, no Acre,  professores, estudantes universitários e representantes do movimento social, incluindo o ativista e seringueiro Chico Mendes, criaram a SOS Amazônia, que passou a promover essa causa,  tendo como objetivo principal proteger a Floresta Amazônica, apoiando as populações tradicionais.

ATUAÇÃO

A instituição atua no estado do Acre e Amazonas, além de áreas fronteiriças, com a participação de, aproximadamente, 5 mil famílias, por meio de sete projetos e duas campanhas. Essa área de atuação se dá, principalmente, em Unidades de Conservação, a exemplo do Parque Nacional da Serra do Divisor e da Reserva Extrativista Alto Juruá, atribuindo à SOS Amazônia um extenso e importante histórico de iniciativas para manutenção das florestas e melhores condições de vida aos povos que nelas habitam. Entre os projetos está o «Valores da Amazônia», que busca estruturar, fortalecer e integrar as cadeias de produtos florestais não madeireiros (borracha nativa, óleos vegetais e cacau silvestre) –  uma iniciativa que promove a geração de renda e mantém a floresta em pé (apoio: Fundo Amazônia); e o «Quelônios do Juruá: Eu protejo», que tem por objetivo garantir a conservação das espécies de tartarugas, tracajás e iaçás na região do Vale do Juruá.

#MelhoresOngs

Em 2017 foi reconhecida como uma das 100 “Melhores ONGs do Brasil”. O prêmio é uma iniciativa do Instituto Doar, em parceria com a Revista Época, que busca reconhecer boas práticas de gestão e transparência no terceiro setor, além de incentivar a cultura de doação no Brasil.

#façaflorescer #sosamazônia #diadedoar

 

SOS Amazônia comemora 29 anos de iniciativas pela proteção da Amazônia

No sábado (30), a SOS Amazônia comemora 29 anos de iniciativas pela proteção da Amazônia. Desde sua criação, a organização desenvolve projetos, propõe e implementa políticas públicas com foco na difusão de modelos e práticas para a conservação da biodiversidade e crescimento da consciência ambiental.

O início de um importante legado pela proteção da Floresta Amazônica

Na década de 1980, houve um grande incentivo ao desmatamento na Amazônia e grandes áreas de florestas foram substituídas por pastagens. Naquela época, o movimento dos seringueiros unia forças para empatar a devastação da Amazônia. O cenário exigia muito apoio e dedicação à luta dos seringueiros para proteger a floresta. Movidos pela resistência dos guardiões da floresta, dia 30 de setembro de 1988, na cidade de Rio Branco, no Acre, professores, estudantes universitários e representantes do movimento social, incluindo o ativista e seringueiro Chico Mendes, criaram a SOS Amazônia, que passou a promover essa causa, tendo como objetivo principal proteger a Floresta Amazônica, apoiando as populações tradicionais.

A instituição atua no estado do Acre e Amazonas, além de áreas fronteiriças, com a participação de, aproximadamente, 5 mil famílias, por meio de sete projetos e duas campanhas. Essa área de atuação se dá, principalmente, em Unidades de Conservação, a exemplo do Parque Nacional da Serra do Divisor e da Reserva Extrativista Alto Juruá, atribuindo à SOS Amazônia um extenso e importante histórico de iniciativas para manutenção das florestas e melhores condições de vida aos povos que nelas habitam.

Entre os projetos está o Valores da Amazônia, que busca estruturar, fortalecer e integrar as cadeias de produtos florestais não madeireiros (borracha nativa, óleos vegetais e cacau silvestre) –  uma iniciativa que promove a geração de renda e mantém a floresta em pé; o ATER Agroecologia, que visa consolidar e ampliar exemplos de agroecologia existentes, para a promoção do desenvolvimento territorial e de seus processos organizativos; e o ATES Resex Alto Juruá, que promove a melhoria da qualidade de vida das famílias que vivem na Reserva, com foco na conservação dos recursos naturais, envolvendo três eixos fundamentais: organização social, fomento do extrativismo e produção sustentável, e comercialização.

A história da SOS Amazônia se entrelaça pelos caminhos a qual buscou Chico Mendes, que a Floresta em pé tem mais valor, promovendo iniciativas para que as comunidades tenham mais ganhos com o extrativismo, e assim, diminuir a pressão sobre as florestas.

#Melhores ONGs

No ano em que completamos 29 anos de existência, a SOS Amazônia recebeu o título Melhores ONGs do Brasil. O prêmio é uma iniciativa do Instituto Doar, em parceria com a Revista Época, que busca reconhecer boas práticas de gestão e transparência no terceiro setor, além de incentivar a cultura de doação no Brasil. Oferecemos esse prêmio a todos vocês que fazem uma SOS Amazônia melhor, a todos que lutam por um ambiente saudável para as atuais e futuras gerações.

São muitos os desafios existentes para manter a floresta preservada, mas juntos podemos fazer mais ainda pela Amazônia. Gratidão aos parceiros, colaboradores, voluntários e a todas as pessoas que se conectam com a causa ambiental.

JUNTE-SE A NÓS!

Crianças indígenas Shawãdawa |TI Arara do igarapé Humaitá, Acre | Área de atuação do projeto Valores da Amazônia |

Acompanhe nossas redes sociais Facebook e Instagram 

Faça uma doação

Fotos: Eliz Tessinari

Indígenas Shawãdawas participam de oficina de borracha colorida

Um investimento Valores da Amazônia

O que não falta nas comunidades indígenas é a criatividade para o artesanato com os produtos da floresta. Para valorizar mais ainda essa atividade que transmite muita beleza e mantém a floresta em pé, começa agora uma relação indígenas shawãdawas e a borracha colorida.

Equipe da SOS Amazônia e a designer de joias, Flávia Amadeu, subiram o igarapé Humaiatá, rumo à Aldeia Raimundo do Vale, Terra Indígena Arara, município de Porto Walter, Acre, para realizar entre os dias 15 e 18 de setembro, uma oficina de produção de borracha colorida – Folha Semi-Artefato (FSA). A iniciativa faz parte do Projeto Valores da Amazônia, com apoio financeiro do Fundo Amazônia/BNDES.

Com a participação de 25 indígenas da Cooperativa Agroextrativista Shawãdawa Pushuã, a iniciativa teve por objetivo ensinar a técnica de produção da FSA e incentivar o artesanato a partir da borracha colorida.

“É a primeira vez que estou trabalhando com o povo indígena e foi a realização de um sonho. Percebi muita vontade deles em querer aprender e colocar a criatividade nesse trabalho com a borracha, e poder gerar renda mantendo a floresta preservada. Os indígenas já possuem uma relação muito forte com a floresta e o artesanato, então a ideia é trabalhar as técnicas artesanais com a borracha, misturando sementes e miçangas, dentro da linguagem que eles têm”, explica Flávia Amadeu, responsável por guiar a atividade.

Em quatro dias, os participantes produziram uma variedade de peças e finalizaram a oficina com uma pequena exposição demonstrando o potencial para esse tipo de artesanato. A designer pretende voltar para dar continuidade a esse projeto com a SOS Amazônia e a aldeia Pushuã.

A artesã Shawã Tuxi mostra cinto em fase de secagem, após três dias é que será possível ver a cor real da borracha, um verde floresta.

Artesã Shawã Tuxy, de 21 anos, é uma das indígenas que ficou interessada na proposta de trabalhar com a FSA. “Fiz algumas peças usando borracha e sementes, agora eu acredito que vou conseguir fazer mais, é um trabalho muito importante para as mulheres da aldeia e estou muito feliz em ter participado”, afirma Tuxy.

O Coordenador geral do Valores, Alisson Maranho, comenta a importância de fortalecer essa parceria. “Estamos felizes em fazer o elo entre a inspiração dos indígenas Arara, o amor pela floresta e o fino design da Flávia Amadeu. Esperamos que essa parceria possa ser fortalecida e que em breve possamos ter peças produzidas com matéria-prima da Terra Indígena e também artefatos produzidos por eles. É um trabalho que valoriza a floresta e as comunidades que nela vivem”, destaca Alisson.


BORRACHA FSA

A borracha colorida FSA foi desenvolvida pelo Projeto Tecbor do Laboratório de Tecnologia Química da Universidade de Brasília e representa mais uma alternativa para a continuidade do extrativismo da borracha nativa da floresta Amazônia. Os seringueiros, conhecedores da floresta, coletam o látex das árvores, que continuam produtivas por gerações. O líquido é então levado para a unidade de produção, onde a borracha é produzida. As mantas de borracha podem então ser usadas no design de produtos ou no artesanato local.


Galeria de fotos FSA Pushuã

PROJETO VALORES DA AMAZÔNIA

O projeto Valores da Amazônia foi selecionado no âmbito da Chamada Pública de Projetos Produtivos Sustentáveis do Fundo Amazônia/BNDES para Estruturação, Fortalecimento e Integração das cadeias de valor de produtos florestais não madeireiros nos estados do Acre e Amazonas.

Objetivo: Disseminar e apoiar iniciativas empreendedoras em nove instituições aglutinadas, com foco na geração de trabalho e renda, e no desenvolvimento sustentável da região.

Cadeias de valor apoaidas: Cacau Silvestre, Borracha (Cernambi Virgem Prensado – CVP e Folha de Defumação Líquida – FDL) e Óleos Vegetais (Buriti, Murmuru, Cocão, Andiroba).

Abrangência:

 Acre: Cruzeiro do Sul, Tarauacá e Porto Walter. Amazonas: Boca do Acre, Pauini, Lábrea e Silves

Saiba mais.


MODA SUSTENTÁVEL 

Flávia Amadeu

A designer Flávia Amadeu tem a borracha colorida como sua matéria-prima principal há quase 14 anos e mostra a transformação que esse trabalho gera nas comunidades e na preservação da floresta. Saiba mais.