Artigo sobre roçados sustentáveis é apresentado no Agroecol 2016

Ícone de relógio nov 16, 2016

 

Artigo sobre a implantação dos roçados sustentáveis na Reserva Extrativista Alto Juruá promovida pela SOS Amazônia, com apoio financeiro do Incra, é apresentado no Seminário de Agroecologia da América do Sul – Agroecol 2016, que acontece em Dourados-MS, entre os dias 16 e 19 de novembro.

O Artigo, produzido por Pedro Melo, Álisson Maranho e Marcos Santos, descreve a experiência na utilização de métodos sustentáveis, como por exemplo, as leguminosas (mucuna-preta / Stizolobium aterrimum) detentoras de grande potencial na recuperação dos solos, diminuindo o uso do fogo e do desmatamento nas comunidades da Resex.

Entenda a experiência

A experiência ocorreu na Comunidade dos Borges localizada na Resex Alto Juruá, município de Marechal Thaumaturgo e contou com a colaboração de três famílias no período de novembro de 2014 a janeiro de 2016, onde iniciaram a colheita e comercialização dos frutos.

Participaram da iniciativa os extrativistas Moises de Oliveira Borges, Raimundo Nonato Clementino Bezerra e Manoel Rodrigues Carvalho juntamente com a colaboração técnica de Marcos Santos de Souza, Técnico em Agroecologia da SOS Amazônia.

Cada família utilizou 0,5 ha de área degradada com cerca de um ano e meio de abandono. O uso da área recuperada anteriormente se deu com a cultura da mandioca em novembro de 2014. Foi plantado 20 kg Mucuna Preta com 5 a 7 cm. de profundidade e espaçamento de 50 cm. entre as covas utilizando uma plantadeira (matraca). O corte da leguminosa ocorreu em novembro de 2015, exatamente um ano após o seu plantio, havendo duas florações nesse período. Em seguida, a mucuna foi deixada ao solo para decomposição como prática de adubação orgânica.

Após cinco dias do corte da leguminosa, foi realizado o plantio da melancia, utilizando a quantidade de 50g de semente da espécie (Citrullus lanatus) com espaçamento de 3 x 3m também utilizando a plantadeira (matraca).

Resultados

O final da experiência obteve como resultado 890 frutos de melancia, numa época de entressafra da cultura, sendo rapidamente escoada toda produção para o comércio local com uma boa aceitação. Cada fruto foi comercializado pelo valor fixado pelo produtor numa média de R$ 13,00 gerando uma média de lucro por produtor de R$ 3.560.

Em 2014, foi realizado um estudo pela SOS Amazônia abordando 681 famílias, foi aplicado um questionário socioeconômico e produtivo onde foi constatado que 47 dessas famílias cultivaram melancia no mesmo ano em áreas de 0,5 ha, onde a produção média foi de 244 frutos por produtor. Quando comparadas as médias, o estudo em que se utilizou o Roçado Sustentável se mostra superior com uma média de 297 frutos de melancia.

Álisson Maranho é engenheiro florestal da SOS Amazônia, Pedro Melo é acadêmico de Engenharia Florestal da Ufac e Marcos Santos é técnico em Agroecologia da SOS Amazônia.

Próximos posts

Ícone de folha de árvore Seja Voluntário SOS Amazônia

Tem sede de ajudar a mudar o mundo a sua volta?
Seja um voluntário SOS Amazônia, inscreva-se e em breve entraremos em contato

Ícone de folha de árvore Associe-se a SOS Amazônia

O seu apoio é fundamental para continuarmos a trabalhar pelo futuro da nossa floresta, rios, animais e da humanidade.
Afilie-se agora!

Ícone de folha de árvore Faça parte da equipe SOS Amazônia

Tem interesse em trabalhar na SOS Amazônia?
Nos envie seu currículo e faça parte da nossa base exclusiva de currículos


Ícone de folha de árvore Seja Parceiro SOS Amazônia

Tem sede de ajudar a mudar o mundo a sua volta?
Seja um voluntário SOS Amazônia, inscreva-se e em breve entraremos em contato